Órfão de filhos.

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos.

É que as crianças crescem. Independentes de nós, como árvores, tagarelas e pássaros estabanados, elas crescem
sem pedir licença. Crescem como a inflação, independente do governo e da vontade popular. Entre os estupros dos preços, os disparos dos discursos e o assalto das estações, elas crescem com uma estridência alegre e, às vezes, com alardeada arrogância.

Mas não crescem todos os dias, de igual maneira; crescem, de repente.

Um dia se assentam perto de você no terraço e dizem uma frase de tal maturidade que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura.

Onde e como andou crescendo aquela danadinha que você não percebeu? Cadê aquele cheirinho de leite sobre a pele? Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário com palhaços, amiguinhos e o primeiro uniforme do maternal?

Ela está crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil. E você está agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela não apenas cresça, mas apareça. Ali estão muitos pais, ao volante, esperando que saiam esfuziantes sobre patins, cabelos soltos sobre as ancas. Essas são as nossas filhas, em pleno cio, lindas potrancas.

Entre hambúrgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão elas, com o uniforme de sua geração: incômodas mochilas da moda nos ombros ou, então com a suéter amarrada na cintura. Está quente, a gente diz que vão estragar a suéter, mas não tem jeito, é o emblema da geração.

Pois ali estamos, depois do primeiro e do segundo casamento, com essa barba de jovem executivo ou intelectual em ascensão, as mães, às vezes, já com a primeira plástica e o casamento recomposto. Essas são as filhas que conseguimos gerar e amar, apesar dos golpes dos ventos, das colheitas, das notícias e da ditadura das horas. E elas crescem meio amestradas, vendo como redigimos nossas teses e nos doutoramos nos nossos erros.

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos.

Longe já vai o momento em que o primeiro mênstruo foi recebido como um impacto de rosas vermelhas. Não mais as colheremos nas portas das discotecas e festas, quando surgiam entre gírias e canções. Passou o tempo do balé, da cultura francesa e inglesa. Saíram do banco de trás e passaram para o volante de suas próprias vidas. Só nos resta dizer “bonne route, bonne route”, como naquela canção francesa narrando a emoção do pai quando a filha oferece o primeiro jantar no apartamento dela.

Deveríamos ter ido mais vezes à cama delas ao anoitecer para ouvir sua alma respirando conversas e confidências entre os lençóis da infância, e os adolescentes cobertores daquele quarto cheio de colagens, posteres e agendas coloridas de pilô. Não, não as levamos suficientemente ao maldito “drive-in”, ao Tablado para ver “Pluft”, não lhes demos suficientes hambúrgueres e cocas, não lhes compramos todos os sorvetes e roupas merecidas.

Elas cresceram sem que esgotássemos nelas todo o nosso afeto.

No princípio subiam a serra ou iam à casa de praia entre embrulhos, comidas, engarrafamentos, natais, páscoas, piscinas e amiguinhas. Sim, havia as brigas dentro do carro, a disputa pela janela, os pedidos de sorvetes e sanduíches infantis. Depois chegou a idade em que subir para a casa de campo com os pais começou a ser um esforço, um sofrimento, pois era impossível deixar a turma aqui na praia e os primeiros namorados. Esse exílio dos pais, esse divórcio dos filhos, vai durar sete anos bíblicos. Agora é hora de os pais na montanha terem a solidão que queriam, mas, de repente, exalarem contagiosa saudade daquelas pestes.

O jeito é esperar. Qualquer hora podem nos dar netos. O neto é a hora do carinho ocioso e estocado, não exercido nos próprios filhos e que não pode morrer conosco. Por isso, os avós são tão desmesurados e distribuem tão incontrolável afeição. Os netos são a última oportunidade de reeditar o nosso afeto.

Por isso, é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que elas cresçam…

Anúncios

Tabela de graduação de machos

Tabela de graduação de machos


1 – Esportes

a.. Futebol, automobilismo, esportes radicais > MACHO 
b.. Tênis, boliche, lutas, voleibol > TENDÊNCIAS GAYS 
c.. Aeróbica, spinning > GAY 
d.. Patinação no Gelo, Ginástica Olímpica > BICHONA 
e.. Os mesmos anteriores, usando short de lycra > LOUCA 


2 – Comidas

a.. Capivara, javali, comida muito apimentada > CONAN 
b.. Churrasco, Massas, Frituras > MACHO
c.. Peixe e salada > FRESCO 
d.. Sanduíches integrais > GAY 
e.. Aves acompanhadas de vegetais cozidos no vapor > BICHA ASSUMIDA 


3 – Bebidas 

a.. Cachaça, cerveja, whisky > MACHO
b.. Vinho, vodka > HOMEM 
c.. Caipifruta > GAY 
d.. Suco de frutas normais e licores doces > MUITO GAY 
e.. Suco de carambola, cupuaçu, com adoçante > PERDIDAMENTE GAY 


4 – Higiene

a.. Toma banho rápido, usa sabão em barra > LEGIONÁRIO 
b.. Toma banho rápido, usa xampu e esquece das orelhas ou do pescoço > MACHO 
c… Toma banho sem pressa, curte a água e soca umazinha > HOMEM 
d.. Demora mais de meia hora e usa sabonete líquido > TENDÊNCIAS GAYS SÉRIAS 
e.. Toma banho com sais e espuma na banheira > VIADAÇO ASSUMIDO 


5 – Cerveja 

a… Gelada e em grandes quantidades > MACHO 
b.. Só cervejas extra, premium e importadas > HOMEM FINO DEMAIS 
c.. Só uma às vezes para matar a sede > BICHICE SOB CONTROLE 
d.. Com limão e guardanapo em volta do copo > BICHA
e.. Sem álcool > GAZELA SALTITANTE 


6 – Presentes que gosta de ganhar

a.. Ferramentas > OGRO 
b.. Garrafa de whisky > MACHO
c.. Eletrônicos, informática,roupas de homem > HOMEM MODERNO
d.. Flores> VIADO
e.. Velas aromáticas, perfumes,doces caramelados, bombons > DONZELA VIRGEM 


7 – Cremes

a.. Só pasta de dentes > MACHO 
b.. Protetor solar só na praia e piscina > HOMEM MODERNO 
c.. Usa cremes no verão > BICHA FRESCA 
d.. Usa cremes o ano todo > BICHONA TOTAL
e.. Não vive sem hidratante > FILA DE ESPERA DA OPERAÇÃO PRA TROCA DE SEXO 


8 – Animais de estimação 

a.. Animal de quê? > MACHO
b.. Tem um vira-lata que come restos da comida > HOMEM
C.. Tem cão de raça que vive dentro de casa e come ração especial > BICHA 
c.. O cão de raça dorme na sua própria cama > BICHONA TOTAL 
e… Prefere gatos > TOTALMENTE PASSIVA


9 – Plantas 

a.. Nem pra comer > TROGLODITA 
b.. Come algumas de vez em quando > RAMBO 
c.. Tem umas no quintal, nem são regadas > HOMEM
d.. Tem plantinhas na varanda do apartamento > VIADO 
e.. Rega, poda e conversa com as flores do jardim > BICHONA PERDIDA 


10 – Espelho

a.. Não usa > VIKING
b.. Usa para fazer barba > MACHO
c.. Admira sua pele e observa seus músculos > GAY 
d.. Idem c, e ainda analisa a bunda > LOUCA 
e. Admira-se com diferentes camisas e penteados > TRAVECO 


11 – Penteado

a.. Não se penteia > MACHO
b.. Só se penteia pra sair à noite > HOMEM 
c.. Se penteia várias vezes ao dia > FRESCO
d.. Pinta o cabelo > BICHONA TOTAL
e.. Dá conselhos de penteados > BICHAÇA LOUCA 

Tiroteio na Campus Party

Agora a coisa ficou séria

 

Algumas gafes do Facebook

15 usuários que fariam Mark Zuckerberg se arrepender de ter criado o Facebook

Retirado do http://www.naosalvo.com.br

Sentimentos, preconceito, inveja… hunf.

Existem Pessoas e pessoas… Não sei pq me chateia tanto. não sei se a falta de educação ou a falta de consideração.
Eu devo ser um tolo por achar que valores se formam em pequenas coisas como amizades, aventuras, parentesco. Não sei mais.
Não sou igual… Não tenho igual… e até penso diferente demais sobre determinados assuntos… Mas isso nunca impediu que fossem formados laços verdadeiros até mesmo com quem não mereça. Mas acabo sempre me chateando no final. MESMO curtindo demais…

Antes eu queria estar ali sempre junto e por um processo natural a coisa vai esfriando, por vários motivos… mas o que realmente não entendo é pq a distancia trás a tona comentários desnecessários e ainda mais pelas costas… mas a vida é assim, quem sou eu para achar que poderia ser diferente comigo. Sigo meus ideais e apenas eles. Não venho aqui ser melhor ou pior ou diferente, nem mesmo querer ser diferente, pois já sou e se for mais terão mais motivos para me chatearem com comentários que não precisavam nem mesmo pensar quanto mais falarem, com suas noções erradas e anti-motivadoras.

O Tabu está aew, formado por sexo, histórias e até mesmo ações antigas de conceitos antigos. O preconceito nasceu do tabú, e sinto que sou vítima do preconceito. Alguns chamam o que sofro de dor de cotovelo dos outros, eu acho que eu tb tenho um pouco, mesmo minha inveja sendo controlada e sadia, mas não aceito a falta de consideração quando não é recíproca, mas deveria ser.

Novo começo

Eu acredito em milagres

Minha vida em uma música?

Eu Acredito Em Milagres

Eu costumava estar numa busca sem fim
Acredito em milagres, pois eu sou único
Eu fui abençoado com o poder de sobreviver
E, após todos esses anos, eu ainda estou vivo
Estou longe daqui, detonando com minha banda
Não sou mais um cara solitário
A cada dia que passa, meu tempo diminui
Vivi como um tolo, era isso que eu era
E eu acredito em milagres
E eu acredito num mundo melhor, pra mim e pra você
Eu acredito em milagres
Eu acredito em um mundo melhor para mim e para você.
Tatuei seu nome em meu braço
Eu sempre disse que minha garota é um sinal de boa sorte
Se ela pode arrumar um motivo para perdoar
Então eu posso arrumar um motivo pra viver
Eu costumava estar numa busca sem fim
Acredite em milagres, pois eu sou um
Eu fui abençoado com o poder de sobreviver
E, após todos esses anos, eu ainda estou vivo
E eu acredito em milagres
E eu acredito num mundo melhor, pra mim e pra você
E eu acredito em milagres
E eu acredito num mundo melhor, pra mim e pra você
Eu fecho meus olhos e penso em como as coisas podem ser
O futuro é aqui, hoje
Não é tarde demais
Ainda não é tarde demais, yeah!
E eu acredito em milagres
E eu acredito num mundo melhor, pra mim e pra você
Eu acredito em milagres
E eu acredito num mundo melhor, pra mim e pra você
Corretamente
 Ramones”
Segue vídeo